Fim de semana em Montevidéu: bate e volta a Punta del Este

Quer saber o que fazer em um fim de semana em Montevidéu? Conto pra vocês como aproveitar a capital uruguaia e seus arredores mesmo com pouco tempo.


Em janeiro de 2016 embarquei numa viagem de duas semanas de  intercâmbio em Buenos Aires. Decidi ficar um fim de semana em Montevidéu para conhecer a cidade. Viajei no primeiro voo do dia 01/01 (virei o ano no aeroporto hehe) uma sexta e fui de barco para Buenos Aires no domingo dia 03, pois minhas aulas começavam na segunda.

Não me lembro exatamente meus gastos, mas sei que troquei um total de R$800 para o fim de semana que cobriu gastos com hospedagem, comida, transporte, passeio e ainda sobrou e ainda cobrou pra trocar pra pesos argentinos. Na verdade o único passeio que contratei foi um bate e volta a Punta del Este, que foi pago em reais. Os outros passeios que fiz foram quase de graça.

Para ir para o Uruguai não é necessário visto e nem passaporte, dá pra viajar com RG já que assim como o Brasil, ele faz parte do Mercosul.  Ainda assim eu aproveitei pra tirar logo meu passaporte. Também não é necessário nenhum tipo de vacina como a da febre amarela, por exemplo.

Tinha feito toda a minha programação para conhecer Montevidéu no primeiro dia e fazer o bate volta a Punta del Este no sábado. Qual não foi minha surpresa quando faltando 15 dias para a viagem descobri que dia 01/01 nada funciona na cidade, nem o transporte público. O jeito foi trocar o bate e volta para o primeiro dia e deixei os outros dois para conhecer a capital. Ainda assim só consegui uma vaga pro passeio faltando 5 dias para a viagem, pois a maioria dos passeios já estavam lotados ou não haveria excursão naquele dia.

Então agora vamos ao roteiro:

1º dia – bate e volta a Punta del Este

2º dia – Free Walking tour e Parque Rodó

3º dia – Playa Pocitos, Punta Carretas e ida pra Colonia del Sacramento

Punta del Leste

Eu contratei um bate e volta com a Uruguias. Paguei R$190,00. O passeio durou o dia todo. A guia, Raida, era brasileira e o grupo da excursão também. Eu era a única viajando sozinha. Esse dia eu me senti bem deslocada, até por que estava bem vulnerável por ser minha primeira viagem internacional sozinha (já havia viajado sozinha antes). Minhas fotos ficaram bem ruins, eu estava bem pra baixo e nem quis usar a câmera, fiquei só com o celular.

A Raida combinou de me pegar às 9h no aeroporto e eu cheguei às 7h. Fiquei uma pilha de nervos pensando que talvez ela poderia me esquecer ou desencontrar. Ainda não tinha comprado chip local e o wi-fi do aeroporto não era lá essas coisas. Pensei em dormir até ela chegar, mas quem disse que eu consegui? No final deu tudo certo e no horário marcado a Raida apareceu pra me buscar.

A primeira parada do passeio é em Piriápolis, no cerro San Antonio onde se tem uma belíssima vista da cidade. Piriápolis é um balneário assim como Punta del Este, mas bem menos badalado.

Capela de San Antonio
Vista de Piriápolis do Cerro San Antonio

Um dos prédios que chama atenção é o que abriga o Argentino Hotel Casino & Resort, de 1930. Foi o segundo hotel construído na cidade. A avenida principal a beira mar possui prédios baixos, em sua maioria residenciais e alguns hotéis.

Argentino Hotel em Piriápolis

A cidade foi fundada no final do séc. XIX por Francisco Piria (daí deriva seu nome) que queria criar um balneário em estilo europeu voltado para as classes média e alta uruguaias. Piria era um empresário bem sucedido e segundo uma lenda praticante de alquimia. Em vários elementos da cidade se podem ver símbolos que fazem alusão a alquimia como a planta do Argentino Hotel, em H, que é símbolo do planeta Urano regente da Era de Aquário. O mapa da cidade quando unido a diferentes pontos onde estão os principais símbolos alusivos a alquimia, forma o desenho da constelação de Aquário. São várias histórias que foram contadas pela Raida durante o tour na cidade. Não sei nada de alquimia, mas achei a história da cidade bem interessante.

Rambla de los Argentino em Piriápolis

Depois da parada no cerro San Antonio seguimos para o próximo atrativo: a Casapueblo. Particularmente era a parte do tour que mais me interessava. A Casapueblo fica em Punta Ballena, entre Piriápolis e Punta del Este. É a antiga residência de verão de seu criador, o pintor e artista uruguaio Carlos Paes Vilaró. A casa é inspirada nas casas mediterrâneas de Santorini, na Grécia. O lugar estava bem cheio por causa do feriado e dos navios de cruzeiro que haviam atracado em Punta del Este naquele dia.

Punta Ballena
Chegada na Casapueblo
Entrada da Casapueblo

O ingresso para visitar a casa custa 240 pesos uruguaios (cerca de R$30,00). Parte da casa é aberta a visitação, onde funciona o museu, a galeria de arte e um restaurante. Na outra parte funciona um hotel, o Club Hotel Casapueblo . A casa realmente é incrível e apesar do tempo nublado a vista pro rio de La Plata é maravilhosa. O museu e galeria abrigam obras de Vilaró, que faleceu em 2014. Suas obras são bem coloridas e retratam temas do folclore uruguaio como o camdombe e a comunidade afro-uruguaia. Foi amigo de pintores famosos como Pablo Picasso e Salvador Dalí.

Vale a visita! Ps.: favor ignorar minha cara péssima rs
Hotel da Casapueblo
Galeria com quadros de Carlos Vilaró
Olha que legal! A casa vista de cima parece o mapa do Brasil

Terminada a visita na Casapueblo, embarcamos rumo a Punta del Este. Assim como na Casapueblo a cidade estava bem cheia, e apesar do tempo meio nublado estava bem quente e as praias lotadas. Passamos pelo Cassino Conrad, paramos no porto e depois almoçamos num restaurante próximo, o Napoléon. Eu comi um prato simples de peixe, nada demais e tomei um refrigerante. A conta ficou em $475,41 (aproximadamente R$53,43), mas paguei no cartão de crédito pois há a devolução do imposto IVA, 18,5% do valor total da conta, o que acaba sendo uma vantagem mesmo pagando IOF.

Conrad Cassino e Hotel
Rambla em Punta del Este
Deck no porto de Punta del Este
Porto de Punta del Este

Depois de almoçar o passeio seguiu e a próxima parada foi no monumento Los Dedos, aquela escultura gigante de dedos na areia da Playa Brava. Depois tivemos um tempo livre na parte comercial pra bater perna e fazer compras. Eu não comprei nada, achei tudo muito caro. Aliás se tem uma coisa que o Uruguai não é, é barato. Mesmo que a nossa moeda valha mais (1 real = 7,50 pesos), o preço das coisas por lá é meio salgado. O que eu achei legal em Punta é que eu não consegui achar nenhum lugar aqui no Brasil pra comparar. Pelo menos nenhum lugar que eu conheça. A avenida Gorlero concentra lojas de tudo quanto é coisa: roupas, souvenirs, fast food, mercado, farmácia, brinquedos, restaurantes. O interessante é que nessa parte de Punta del Este que é uma península (literalmente a ponta da cidade), em cada cruzamento dava pra ver o mar dos dois lados da rua. Na verdade de um lado é o mar e do outro é rio de La Plata.

Monumento Los Dedos
Avenida Gorlero – centro de compras em Punta del Este
Ponte ondulada
Prédio lindo em uma das ramblas. Parece um castelo

A parte final do tour foi num bairro chamado Beverly Hills. O nome desse bairro não é a toa,  assim como o bairro norte americano, aqui também só tem mansões, cada uma mais linda que a outra.

O tour terminou por volta de 16h e então voltamos pra Montevideú, umas 2h de viagem.

O bate e volta foi um pouco cansativo pois a cidade estava cheia. Mas se você tiver com pouco tempo faça assim mesmo. Caso fique pelo menos 5 dias em Montevidéu, reserve dois pra ficar em Punta, acho que vale a pena. Eu gostaria de voltar e passear com calma pelas praias e sentir a atmosfera da cidade. Aliás Punta del Este só funciona na alta temporada, no verão. Segundo a Raida informou, no inverno a maioria dos estabelecimento fecha e a cidade fica vazia, mas pra quem aprecia sossego é a melhor época.

Passeios e restaurante:

Uruguias – além do bate e volta a Punta del Este, oferecem outros passeios como o tour de vinícolas, city tour em Montevidéu e bate e volta a Colonia del Sacramento. http://uruguias.com.uy/pt-br/

Casapueblo – funciona todos os dias de 10h até o pôr-do-sol. Pra quem fica até o sol se pôr, acontece a “Ceremonia del Sol”. Uma gravação com a voz de Vilaró recitando um poema de sua autoria é ouvida enquanto o sol se põe. No verão isso geralmente acontece lá pelas 20h. Endereço: Punta Ballena, Uruguay. Ingresso: 240 pesos uruguaios. Menores de 12 anos não pagam. https://carlospaezvilaro.com.uy/nuevo/museo-taller/

Napoleon – restaurante próximo ao porto de Punta del Este. Endereço: Rambla Artigas Entre 10 y 12 Puerto. https://www.facebook.com/Napole%C3%B3n-Punta-del-Este-602461289862699/

Já conhece Punta del Leste? Deixe suas dicas aqui nos comentários.

 

 

 

 

 

Facebook Comments

About Juh Oliveira

Arquiteta, guia de turismo e futura turismológa. Habitante de Baixada Fluminense. Apaixonada por viagem, fotografia e por descobrir novos lugares.

View all posts by Juh Oliveira →

One Comment on “Fim de semana em Montevidéu: bate e volta a Punta del Este”

  1. Minha familia é do Uruguai e costumo passar minhas férias sempre em Punta del Este com eles.. adoro! O lugar é fantástico e, como tu explicou muito bem, tem lugares incríveis para conhecer. :*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *