4 dicas básicas para planejar uma viagem

Muita gente tem dúvidas quando o assunto é planejamento de viagens. Por onde começar, onde e como pesquisar são questões recorrentes. Eu planejo minhas viagens há uns 6 anos e é uma tarefa que gosto muito. Planejo desde a hospedagem até os atrativos que serão visitados e na maioria das vezes deu tudo certo.

Costumo planejar as viagens com bastante antecedência. Esse planejamento exige muita pesquisa, tempo e paciência que nem todo mundo tem. Nessa era digital em que estamos vivendo temos a facilidade de acesso às informações e não precisamos mais ficar presos a pacotes caros e sem flexibilidade da agências de viagem. Aliás, algumas agências estão mudando isso também. A CVC por exemplo, já permite que os próprios clientes montem seus pacotes baseados nas opções que eles oferecem.

Vou listar algumas dicas bem básicas que sempre me ajudam na hora de planejar uma viagem, independente do orçamento.

1 – Escolha do destino

travel-2650303_1920
Imagem: Pixabay

Algumas vezes esse fator ficou em segundo lugar. Já aconteceu da escolha do destino ser baseada em alguma promoção de passagem aérea que surgiu. Mas no geral sempre tenho o lugar que quero conhecer em mente e acredito que com muitas pessoas é assim também.

Se eu fizer a viagem sozinha levo em consideração a segurança do lugar e a facilidade de locomoção. Para nós mulheres é bem mais complicado viajar sozinha e a escolha do destino pesa muito nessa hora, principalmente se for por aqui no Brasil. O blog Viajando com pouco listou 8 destinos nacionais para mulheres que querem viajar sozinha.

2 – Compra das passagens aéreas

aircraft-513641_1920
Imagem: Pixabay

Um item muito importante a ser definido com bastante antecedência (caso não tenha sido o motivo principal da escolha do destino, como citei no item 1) é a compra das passagens aéreas. Geralmente é o item mais caro de uma viagem, principalmente quando deixado pra cima da hora. Há duas maneiras de acompanhar o preço das passagens: nos próprios sites das empresas aéreas, que sempre fazem algum tipo de promoção ou acompanhando sites buscadores como Decolar.com, Skyscanner e Melhores Destinos. Eu faço a cotação por esses sites, que me dão o comparativo de voos e preços de várias empresas aéreas e depois compro diretamente no site da empresa (Gol, Latam, Avianca…) que sai bem mais em conta. Os sites buscadores cobram taxas, o que encarece o preço final das passagens.

As passagens para destinos nacionais devem ser compradas entre 25-40 dias antes da viagem quando é baixa temporada e entre 60-90 dias para a alta temporada. Já para destinos internacionais o ideal é que as passagens sejam compradas entre 30-60 dias para a baixa temporada e entre 60-120 dias para a alta temporada.

3 – Hospedagem

sunbeds-2439951_1920
Imagem: Pixabay

Depois das passagens já compradas é hora de definir a hospedagem. O ideal é que também seja reservada com bastante antecedência principalmente se for para períodos de feriados e alta temporada. Quanto mais próximo da data da viagem mais altos os preços e chances de se esgotarem as opções, principalmente pra quem viaja com o orçamento limitado.

Sempre faço a cotação pelo Booking. Pesquiso as melhores opções por localização, preço e avaliação dos usuários. Consulto também o TripAdvisor, pois lá costuma ter avaliações mais detalhadas por parte dos usuários. Visito também o site do próprio hotel. Já aconteceu algumas vezes de a tarifas deles serem melhores do que as oferecidas no Booking.

4 – Atrativos a serem visitados

street-map-2679271_1920
Imagem: Pixabay

Faço o levantamento dos atrativos que quero visitar e me programo dentro dos dias que vou ficar no local. Faço um roteiro dia-a-dia. Como a maioria dos passeios faço por conta própria, analiso as distâncias no Google Maps e vejo quanto tempo vou gastar em cada atrativo. Isso também me ajuda a definir como vou me locomover pelo destino, principalmente se estou indo sozinha.

Dica extra: para viagens internacionais também é importante verificar a parte burocrática. Saber se é necessário passaporte e visto (que não são exigidos no Mercosul), a necessidade de contratação de seguro, se precisa comprar moeda aqui ou fazer o câmbio já no destino e se é necessário tomar alguma vacina como a da febre amarela, que é exigida em algumas regiões aqui no Brasil também.

E vcs, como costumam planejar suas viagens? Deixem aqui nos comentários dicas do que vocês costumam fazer esse planejamento.

Facebook Comments

2 Comments on “4 dicas básicas para planejar uma viagem”

  1. Eu costumo utilizar o Kayak, ele já mostra os preços com as taxas, e o localizador é muito bom também, o ruim dos melhores destinos é que eles estão colocando algumas passagens com promoção pelo Viajanet, então o preço final é outro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *