[4 dias em Foz do Iguaçu] – Parque Nacional Iguazu – Argentina

Depois de explorarmos as cataratas no lado brasileiro (post aqui) e a Usina Hidrelétrica de Itaipu (post aqui), no terceiro dia fomos nos aventurar no lado argentino das cataratas. Não fui de carro, pois como era domingo de Páscoa fiquei com medo de pegar engarrafamento pra atravessar a fronteira. Optei pelo ônibus, mas depois de esperar um tempão um ônibus passar, ainda descobri que ele não ia pro centro. Então fomos de carro até o Cataratas Shopping e deixamos no estacionamento de lá. Pegamos um ônibus até o Terminal de Transporte Urbano – Pedro Antonio de Nadai, que fica bem próximo. O ônibus não para dentro da rodoviária e sim na rua Men de Sá, ao lado do terminal. Depois de uma longa espera, que atrasou mais ainda nossa viagem, o ônibus chegou. A passagem custa em torno de R$4,00. O valor pode ser pago em real, dólares ou em pesos argentinos, tem um cartaz com os valores em cada moeda. Por sorte o trânsito não estava ruim, só na ponte da Fraternidade, que divide o Brasil com a Argentina tinha retenção. Quando o ônibus chega na ponte, todos tem que descer para passar pela imigração. Não precisa de passaporte, é só apresentar o RG. Foi super tranquilo, eles olham o documento e depois te liberam. Após todos voltarem para o ônibus seguimos viagem. Esse procedimento é feito toda vez que atravessa a fronteira.

Já no lado argentino, descemos no meio do caminho, na Av. Victoria Aguirre. Não havia necessidade de ir até o ponto final na rodoviária de Puerto Iguazu, pois o parque fica nessa mesma rodovia. Esse trajeto levou em torno de 1h. No ponto acabamos rachando um táxi com um casal brasileiro e foram mais uns 20 minutos até a entrada do parque. Cheguei por volta de meio dia e não deu tempo de visitar tudo. O ideal é chegar bem cedo pra fazer tudo com calma, inclusive o passeio de barco. Consegui fazer as três trilhas pincipais: Garganta do Diabo, Circuito Inferior e Circuito Inferior.

mapapegadasnaestrada
Mapa do parque – Imagem: Pegadas na Estrada

O Parque Nacional Iguazu, fica na cidade de Puerto Iguazu, na província de Missiones, a cerca de 30km de Foz do Iguaçu. Diferente do lado brasileiro, os ingressos tem que ser comprados na hora e em pesos argentinos. Não aceitam cartões de débito e nem de crédito. Custa 400 pesos (cerca de R$72,00) para residentes do Mercosul, crianças de 6 a 12 anos pagam 100 pesos (cerca de R$18,00). Se for visitar o parque em mais de um dia é preciso validar o ticket na bilheteria para ganhar 50% de desconto na visita do dia seguinte.

Com relação aos pesos argentinos como era só pra pagar o parque, levei pouca quantidade, troquei no Rio de Janeiro mesmo. Mas pra quem for levar bastante dá pra trocar em Foz do Iguaçu, não sei se a cotação é boa. No Cataratas Shopping tem casa de câmbio.

iguazuparkarg_boradescobrir
Entrada do parque e Centro de Visitantes
tremiguazu_boradescobrir
Trenzinho lotado no feriado

O parque conta com um centro de visitantes com uma exposição sobre meio ambiente (fauna, flora e história da região), lanchonetes, restaurantes e lojas de souvenirs. O valor do ingresso inclui o Trem da Selva, que é o trenzinho que te deixa no início das trilhas. Fui direto à parada final que é a Estación Garganta del Diablo. A trilha é suspensa por cima do rio, numa paisagem bem selvagem onde é possível ver jacarés tomando sol, tartarugas, borboletas, algumas aves e peixes. No final da trilha a bela visão da Gargamta do Diabo por cima! E o mais legal dessa trilha é que mesmo com a força assustadora da água, borboletas vão pousando na gente o tempo todo. É incrível!

gargantaiguazu_boradescobrir
Início da trilha
gargantadeldiablo_boradescobrir
Chegando na Garganta do Diabo
borboletaiguazu_boradescobrir
Borboleta <3
gargantaiguazu2_boradescobrir
Perfeição da natureza!
iguazufalls_boradescobrir
Dá pra ver a torre que fica no parque brasileiro

Voltamos para a estação para pegar o trem e descer na Estação Cataratas. Fizemos o Circuito Superior que tem cerca de 1,7km de nível fácil e passa por cima das quedas. Depois fizemos Circuito Inferior, que também tem a mesma distância porém é onde se tem uma visão das quedas pela parte de baixo. Nos dois circuitos tem-se uma vista geral das quedas, inclusive do lado brasileiro. Ambos os circuitos também são feitos em passarelas suspensas e são acessíveis a pessoas com dificuldade de locomoção.

iguazusuperior_boradescobrir
Circuito Superior
paseoiguazu_boradescobrir
Dá pra ver o Circuito Inferior lá de cima
inferioriguazu_boradescobrir
Vista espetacular no Circuito Inferior
buterflyiguaz_boradescobrir
Mais borboletas <3
argentinaiguazu_boradescobrir
Final do Circuito Inferior
iguazucataratas_boradescobrir
Tentativa de reproduzir o desenho do Pica-pau nas cataratas #fail

Assim como no lado brasileiro, o lado argentino oferece passeio de barco, o Aventura Náutica, que dizem ser mais radical que o Macuco Safari. Custa $550 (cerca de R$99), mais barato que o passeio brasileiro. Infelizemente não tive tempo de fazer esse. Entrou pra minha lista de arrependimentos de viagens. Mais informações sobre o passeio no site Iguazu Jungle.

lanchoneteiguazu_boradescobrir
Lanchonete e banheiros na Estação Cataratas

Terminamos o passeio já no fim da tarde. O último trem sai às 17:45h rumo a entrada do parque. Importante se atentar para o horário de saída do parque, pois o último ônibus de Puerto Iguazu para Foz sai às 18:30h. Foi o tempo certinho de pegar o ônibus no parque para chegar até a rodoviária. Levou cerca de 20 minutos, o ônibus era bem confortável, porém não lembro quanto paguei. Já na rodoviária de Puerto Iguazu, o ônibus acabou atrasando um pouco a saída, mas no final deu tudo certo.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *